Universo da Espiritualidade
xMudras para a saúdeMudras Para Atrair RiquezaMudras de ProteçãoMudras Conexão Divina
xManual de MudrasBotânica Medicinal e místicaProsperidade Através dos MantrA Natureza Contra a DepressãoLOJA
xPaz de EspíritoMeditação de Cura
xMantras de CuraMantras para a ProsperidadeMantras para Meditação
xTerapias HolísticasTerapias ChinesasEFTTécnica KarunaReiki
xCuraProteçãoPerdãoProsperidade
xSímbolos de ProteçãoSímbolos de CuraSímbolos de Prosperidade
xBotânica OcultaBotânica Medicinal
xCorpo mente e alma
xTerapias dos Chakras
Cura espiritual>Corpo mente e alma>COMO O OLFATO PODE DETERMINAR O RISCO DE ALZHEIMER, DE ACORDO COM NOVAS PESQUISAS

COMO O OLFATO PODE DETERMINAR O RISCO DE ALZHEIMER, DE ACORDO COM NOVAS PESQUISAS

 

Cientistas da Universidade McGill em Quebec descobriram recentemente um novo indicador da doença de Alzheimer. O sintoma recém identificado fornece uma maneira não invasiva de rastrear a progressão da doença em pacientes com Alzheimer e pode ajudar a levar ao diagnóstico precoce.

 

Mas, que sintoma é este que devemos estar cientes? A perda do olfato.

 

 

 

O estudo

Em um estudo Publicado na revista Neurology, pesquisadores estudaram 300 pessoas em risco de doença de Alzheimer. Cada participante tinha um pai que sofria de doença de Alzheimer. Eles receberam exames de checagem e cheiros de escolha múltipla e pediram para identificar diferentes odores, variando de chiclete a gasolina.

 

 

O estudo mostrou que os participantes que tiveram a maior dificuldade em identificar os cheiros nos testes também apresentaram a maioria das indicações biológicas da doença de Alzheimer. 

 

 

A primeira autora do estudo, Marie-Elyse Lafaille-Magnan, disse: "Esta é a primeira vez que alguém conseguiu mostrar claramente que a perda da capacidade de identificar os cheiros está correlacionada com marcadores biológicos que indicam o avanço da doença".

 

 

Ela continuou: "Há mais de 30 anos, os cientistas têm explorado a conexão entre a perda de memória e a dificuldade que os pacientes podem ter na identificação de diferentes odores. Isso faz sentido porque é sabido que o bulbo olfatório (envolvido com o sentido do olfato) e o córtex entorrinal (envolvido com memória e nomeação de odores) estão entre as primeiras estruturas cerebrais a serem afetadas pela doença ".

 

A nova descoberta poderá ser usada para identificar a doença de Alzheimer e rastrear a progressão da doença muito antes de outros sintomas aparecerem. 

 

Os pesquisadores esperam que, com outros estudos, o teste de cheiro possa ser usado em lugar de procedimentos mais invasivos e caros.

 

Namastê!

Nina Greguer

Fonte: davidwolfe